Aprenda a lidar com o seu ciúme excessivo

Para aprendermos a lidar melhor com nosso ciúme excessivo, precisamos entender melhor sobre o tema. O ciúme considerado comum, é aquele em que a pessoa, por gostar muito de algo ou alguém, acaba querendo que este mesmo algo ou alguém lhe de mais importância do que dá para as outras pessoas. Neste ponto, o ciúme faz parte do relacionar-se, estando intimamente ligado ao gostar e ao medo da perda. O ciúme comum é aquele que aparece quando há uma real possibilidade da perda do algo querido.

Falando de relacionamento, é aquele que existe quando realmente existe o perigo de perdemos alguém para outra pessoa. Nesse caso, o ciúme pode nos auxiliar a tomarmos atitudes para que não venhamos a perder a pessoa que é do nosso interesse, no sentido de buscarmos modificações pessoais e interacionais para que a pessoa nos perceba novamente e sinta a necessidade de estar conosco.

Em contrapartida, o ciúme excessivo pode ser visto como irracional, visto que não necessariamente precisa existir um real perigo de perda da pessoa a qual temos interesse, ou seja, o simples fato de pensar em perde-la por determinada circunstância já é o suficiente para  que o ciúme apareça, que por muitas vezes é tratado de forma irracional, tendendo a culpar o outro por nos faze sentir ciúmes.

A grande diferença entre o ciúme considerado comum e o considera excessivo está realmente na quantidade em que ele se manifesta, prejudicando todos os integrantes da relação amorosa.

Neste aspecto, devemos entender que o ciúme está correlacionado ao que pode nos fazer mal, ou seja, geralmente temos ciúmes pois a pessoa amada fará coisas para nos prejudicar ou terá atitudes que possam fazer com que o relacionamento chegue ao fim. A pessoa ciumenta ao extremo, está mais preocupada em si, em suas perdas, do que necessariamente na pessoa amada. Esta pessoa sente que perderá algo que é “dela”, e isto a trará dor, e ela não quer isto, fazendo com que o ciúme ocorra.

Para que possamos lidar melhor com nossos ciúmes, precisamos então entender o real motivo de estarmos sentido ciúmes e se a circunstancia que me faz ter ciúmes é realmente passível de acontecer, levando em consideração o real motivo para ter o ciúme. Ou seja, precisamos entender o causa do problema para solucionar os sintomas e, neste caso, o sintoma é o ciúme.

Um outro aspecto relacionado às pessoas que tem muito ciúmes é que geralmente elas não tem muita autoconfiança e precisam do outro para adquirir esta confiança própria. Portanto, aumentar a confiança em si mesmo está intimamente ligada a perda do ciúme excessivo e maléfico para qualquer relacionamento.

A pessoa autoconfiante é aquela que adquiriu  em si e em suas atitudes a certeza de que esta apta para realizar as tarefas e tem confiança suficiente em si para resolver suas questões psicológicas e principalmente o ciúme. Quando a pessoa confia em si, ela aprende a confiar no outro, pois aprende a perceber que o outro também pode ser confiável, e vê que tem potencialidades em si mesma para ficar bem, não necessariamente precisando do outro para ser feliz, e isto faz com que o medo de perder o outro seja diminuído drasticamente. A autoconfiança está relacionado a autoestima e principalmente a auto aceitação.

É possível compreender então que a perda do ciúme está relacionada ao entendimento que temos sobre o tema e o encontro do real motivo de sentirmos o ciúme, que juntamente com o aumento da autoconfiança, faz com que não tenhamos mais o medo de perder o outro. Fazendo com que o ciúme se torne apenas uma ferramenta de manutenção da relação, que serve apenas para repararmos erros atitudinais na relação, e não uma forma de ter o outro somente para nós mesmo, aprisionando-o. A perda do ciúme faz com que uma relação se torne mais proveitosa para seus integrantes e principalmente, dá liberdade para os mesmos se desenvolverem como pessoa.

[bullet_block large_icon="53.png" width="" alignment="center"]

[/bullet_block]

» NUNCA MAIS FIQUE SEM ASSUNTO